A QUIMBANDA

English Version

QUIMBANDA A BRUXARIA BRASILEIRA

Entendemos que toda manifestação tem seu início e é nossa opinião que a Serpente Velha iniciou a infestação pelos seus enviados os Adversários da criação em terras brasileiras muito antes do colonizador europeu aportar. E com o advento da colonização o Grande Verde Venenoso e os Adversários da criação aumentaram o campo de batalha contra o demiurgo que já existia por aqui.

A Quimbanda é postura e posicionamento contrário a qualquer religião, crença ou prática que levem ao demiurgo e seus arcontes.

Quimbanda – o início

Durante a escravidão foram trazidos para o Brasil diversas etnias africanas, Bantos, Jejes, Angolanos, Iorubás, Mandingas, Baubaras, Ibos e muitas outras.

Todos os que sobreviveram formaram nas senzalas outras sociedades; cada etnia tinha sua forma de cultuar os espíritos, os antepassados, as forças da natureza e as divindades de suas terras originais.

Com a mistura dos vários grupos étnicos e o contato com os povos originais brasileiros foram surgindo novas formas deste povo continuar a cultuar o seu sagrado, muitas vezes sincretizados com o catolicismo para disfarçar e garantir sua sobrevivência.

Haviam indivíduos ou pequenos grupos que continuaram a cultuar da forma que aprenderam em suas terras natais.

E haviam alguns poucos que iniciavam o despertar do Espírito e juntaram-se se aos Adversários que aqui já estavam.

Engana-se quem pensa que estes cultos tomaram forma em terras brasileiras para favorecer os senhores de escravos e poderosos da época.

Geralmente o culto escondido, oculto, era praticado com incorporações ou possessões de espíritos e prática de feitiçaria e eram dirigidos a atacar os senhores de escravos e algozes, os espíritos invocados também traziam conselhos diversos e protegiam o povo.

Se juntam a este cenário os indivíduos que foram degredados pela inquisição e tribunais europeus: hereges e desajustados de todas as espécies, bruxas, feiticeiros, sacerdotes acusados de praticar Magia Negra e os povos caboclos resultado da miscigenação e mais tarde imigrantes que aqui aportaram como mão de obra.

Desse caldeirão revolto, cheio de ódio e sentimento de vingança, surgiram diversas formas de cultos de resistência como o Candomblé, o Omoloco, Tambor de Mina, Cabula e muitos outros.

Para o TEMPLO QUIMBANDA CEIFADORES, o culto Cabula é o início da QUIMBANDA BRASILEIRA, onde através desse caldeirão de culturas, formou-se um culto aos espíritos e outras entidades que se manifestaram através deste canal.

Um culto de resistência e ataque que utiliza os conhecimentos de Magia Negra e a intercessão de forças primordiais e espíritos.

E a partir desta manifestação inicial, Exu e Pombagira foram deixando pistas para que os praticantes fossem por seus próprios esforços avançando na compreensão da Quimbanda e o que são as manifestações Exu e Pombagira.

Os cultos existentes ainda estavam contaminados pelo rebanho do demiurgo e o tempo havia de selecionar os Espíritos que despertavam da escravidão da criação.

Assim surgiu o TEMPLO QUIMBANDA CEIFADORES, Veneno contra o criador e Remédio para os Espíritos que lutam pela liberdade.

Não importam mais as origens das palavras, as mitologias, os sincretismos e supostas origens históricas e tradições folclóricas que foram utilizados para o início da manifestação dos Adversários da criação no Brasil como Exu e Pombagira.

O que nos interessa é que a Serpente Velha atingiu seu objetivo e que a QUIMBANDA CEIFADORES é um braço de guerra e via de libertação para Espíritos despertos.

Aqueles que quiserem continuar a se manter presos a mitologias e a histórias folclóricas, mentiras divulgadas pelo sistema ou em discussões mentais masturbatórias, NÃO NOS PROCUREM.

Que a Foice e o Tridente dilacerem o véu da ilusão e o Veneno da Grande Serpente Velha apodreça a criação.